Professora Ana Mere recebe prêmio estadual por suas práticas inovadoras

Atualizado: 21 de dez. de 2021


O Programa Pense Grande premiou três professores da rede estadual de Sergipe por suas práticas pedagógicas inovadoras no ensino da disciplina Projeto Vida. São eles: Ana Mere da Silva, do Colégio Estadual José Joaquim Cardoso, em Malhador; Adriana Ferraz de Brito, do Centro de Excelência Arquibaldo Mendonça, em Indiaroba e Lindeval Alves da Cruz, do Centro de Excelência Maria Rosa de Oliveira, em Tobias Barreto. A cerimônia de premiação e socialização das atividades exitosas aconteceu em evento virtual realizado na última quinta-feira, dia 9.


A professora Ana Mere da Silva celebrou a homenagem. “O professor precisa provocar em si essa quebra de paradigmas e conduzir o aluno a essa epifania para que ele possa aprender a planejar o próprio futuro. É muito importante o dia de hoje. Sinto-me privilegiada. Essa conduta do projeto de vida de conhecer os jovens, seus interesses, seus anseios, motivá-los a construir suas trajetórias, sua própria história, é algo que precisa ser muito planejado e observado no dia a dia dos professores. Ele precisa organizar sua vida para grandes metas; ele precisa estar apaixonado e integrado com aquilo que está fazendo. Minha sequência didática foi pensada em ações e orientações voltadas para valores positivos com foco no bem-estar dos alunos nesse retorno das aulas presenciais”, explicou.

Ana Mere é natural de Nossa Senhora da Glória, mas vivem em Malhador desde 2000, faz parte do quadro efetivo do magistério estadual desde janeiro de 2013, tem formação acadêmica em Educação Física-UFS e especialização em Educação Física Escolar e Treinamento Desportivo-FAMA, e Coordenação Pedagógica-UFS.


Leciona Educação Física no Ensino Fundamental menor e maior, EJAEF, PROSIC e Projeto de Vida no Ensino Médio, nos Colégios Estaduais: Joaquim Cardoso (Malhador), São José (Malhador) e Padre Mendonça (Itabaiana).


Prêmio


Criado em 2013, o Programa Pense Grande tem o objetivo de oferecer oportunidades de desenvolvimento de competências para educadores e jovens, de modo alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e ao Novo Ensino Médio. Em Sergipe, a iniciativa foi implantada no ano de 2019, e desde então vem apoiando a rede estadual nas atividades curriculares que envolvem a educação empreendedora e projeto de vida.


Intitulada “Reconhecimento Docente 2021”, a premiação, que partiu do processo formativo de Professores Multiplicadores Pense Grande Projeto de Vida, iniciativa da Fundação Telefônica Vivo (FTV), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) e execução do Instituto Paramitas, visa a reconhecer e dar visibilidade aos professores que, no decorrer de 2021, realizaram a multiplicação em Projeto de Vida, desenvolveram, aperfeiçoaram ou fomentaram nos jovens competências e habilidades que os possibilitam construir seus projetos de vida, por meio de suas aulas.


O processo de reconhecimento contou com a participação de 10 professores finalistas. Além dos premiados, tiveram suas práticas avaliadas os seguintes educadores: Jeocástria Rezende dos Santos, do Colégio Estadual Professor Genaro Dantas Silva (Pinhão); Vera Lúcia Blinofi Crusdos Santos, do Centro de Referência de Educação de Jovens e Adultos Jorge Amado (Estância); Morgana Catherine Leite Santos, do Colégio Estadual Juscelino Kubitschek (Nossa Senhora do Socorro); Rita de Cássia Dias de Oliveira Carvalho, do Colégio Estadual Dionizio Machado (Indiaroba); Janicleia Santos de Santana Andrade, do Colégio Estadual Professor João de Oliveira (Poço Verde); Maria de Lourdes da Silva Santana, do Colégio Estadual Profa. Maria Conceicao De Santana (General Maynard); e Gilliard dos Santos, do Centro De Excelência Joana De Freitas Barbosa (Propriá).


Os três finalistas contemplados na fase final receberão, como premiação, um Kindle com três meses de assinatura e uma viagem para os Cânions do Xingó, com direito a um acompanhante, incluindo transporte de ida e volta; guia acompanhante; passeio de catamarã; e almoço buffet livre no restaurante Karrancas.



As dificuldades docentes em tempos de pandemia


Para Ana Mere. “Trabalhar na pandemia foi e tem sido o maior desafio enfrentado não só por mim, mas por muitos professores. Em meio ao medo, as mudanças e muitas incertezas, a maior certeza de que eu tinha era a de não parar.


Deparei-me numa sala de aula tão ampla e, ao mesmo tempo, tão minúscula que cabia na palma da minha mão. Sem portas, nela, cabiam alunos, famílias, equipe gestora. Tanta gente nos vendo o tempo todo. Neste momento, perdi-me na imensidão da tecnologia. Porém, o olhar mais atento que buscava era o do aluno. Eles precisavam se sentir acolhidos, confiantes e motivados para continuarem aprendendo, enquanto o mundo retomava seu eixo.


Com o passar dos meses, foi possível compreender que era preciso inovar, arriscar, perder o medo de investir em novas metodologias e, se preciso, mudar o rumo mais uma vez. Então, abri a câmera e mostrei minha realidade, minhas imperfeições, mas tinha a convicção de que criaria uma personagem sem a intenção de deixar de ser eu mesma. Essa foi uma forma afetiva e eficaz de aproximação. Ah... O afeto... O AFETO resolve muita coisa.

Receber o feedback positivo deles e das famílias, sinalizou que o caminho era esse.

Ser professor é isso: ser firme, sem deixar de se revelar em camadas de pura humanidade. No final, os alunos se reconhecem em nós, e nós nos reconhecemos neles e, assim, o diálogo flui.

Ser professor é estar disponível para as mudanças e determinado a se superar em meio ao caos e as próprias batalhas interiores.


Com Cristo, somos mais que vencedores!”.


Por Cleber Santos

Com informações da

1 comentário