Pegando carrego e catando latinhas, sergipano supera desafios e é aprovado em doutorado


Muitos conhecem a fala popular de que o povo brasileiro é guerreiro e, fazendo jus a essa afirmativa, Gênisson Lima de Almeida, de 27 anos, natural de Nossa Senhora Aparecida, mostra sua brasilidade e batalha para conseguir transformar sua realidade através dos estudos.


Filho de pais analfabetos e que se sustentam por meio da agricultura familiar, o jovem sabia que a única forma de mudar o rumo da sua vida seria a partir do ensino, portanto decidiu trabalhar duro e juntar o dinheiro proveniente dos seus esforços para ingressar no ensino superior.


Por muito tempo o estudante em tela conciliou a realização de catar latinhas de refrigerante e cerveja e carrego aos domingos na feira livre de Nossa Senhora Aparecida, porém, há 16 anos (completou em maio de 2022) tem o carrego como sua fonte de renda e sustento e custeou sua jornada na Universidade Federal de Sergipe, onde se formou em Geografia Bacharelado em 2015. Mas a graduação não foi suficiente para sua vontade de aprender e ascender socialmente e economicamente, por isso decidiu iniciar o Mestrado em Desenvolvimento e Meio ambiente e, em paralelo, cursar Licenciatura em Geografia.

O estudante chegou à conclusão de que deveria dar prioridade ao mestrado, finalizando-o em 2019 e, em seguida, dar continuidade à graduação em Licenciatura Plena em Geografia. Mesmo ainda ativo na sua segunda graduação, ele se arriscou no doutorado e teve aprovação no mesmo ano, iniciando as aulas em março de 2020. Por ainda ser estudante, Gênisson mora em uma kitnet, no Bairro Rosa Elze, em São Cristóvão, próximo à UFS, para facilitar a logística dos estudos durante a semana. Já no final de semana, ele se desloca para a casa de seus pais para desempenhar sua função na feira livre.


Gênisson se orgulha da sua realidade atual, mas não esconde o caminho árduo que teve e ainda encontra obstáculos ao trilhar seu caminho na aquisição de suas conquistas. “Diante desse cenário de conquistas, posso afirmar que o sucesso advém do ato de desafiar-se a si mesmo, portanto, é algo subjetivo, onde parte da vontade de querer de cada um. E foi assim que mentalizei todos os meus sonhos e fui à luta. Não adianta querer algo e não fazer por onde acontecer. Cada passo dado tem sua importância para alcançar aquilo que almeja”, declara.


Por Cleber Santos, com informações do Jornal da Cidade

0 comentário