Digitais Influencers malhadorenses fazem sucesso nas redes sociais nas mais diversas áreas


Se tem algo que consegue mostrar o quanto a ascensão das redes sociais revolucionou várias áreas da nossa vida, é o digital influencer. Essa carreira, relativamente nova no mercado, deixa claro que quando estamos falando de curtidas, comentários, visualizações, estamos falando do reflexo daquilo que a sociedade está acompanhando ou rejeitando.


No entanto, em meio a inúmeras publicações, tentativas de engajamento, parcerias, publiposts, fica o questionamento: o que, exatamente, é ser um influencer? Bom, pegando o termo em sua raiz: digital influencer (ou, traduzindo literalmente, influenciadores digitais), basicamente, é a pessoa que detém o poder de influência em um determinado grupo de pessoas. Esses profissionais das redes sociais impactam centenas e até milhares de seguidores, todos os dias, com o seu estilo de vida, opiniões e hábitos.


Em nosso pequeno (e querido) município, temos alguns influencers se destacando, crescendo e achando o seu espaço nesse mundo bastante competitivo, nessa matéria iremos tratar de apenas quatro por ser um em cada área, mas poderíamos citar sete ou oito tranquilamente.


Hoje vamos conhecer um pouco mais a história de Bruno Bitencourt (@brubiten), Daniel Santos (@_soudaniell), Fernando Santos (@beldadesdesergipe__), e Wilma Camilo (@wilmacamiloesmalteria), e nada melhor que deixar que eles mesmo contem um pouco da história de cada um.



Bruno Bitencourt (@brubiten)


“Comecei há 7 anos brincando com blogs digitais (sites), páginas de Facebook com assuntos de entretenimento com meus amigos do colégio. Criava quadros dinâmicos que sempre atraiam pessoas. Com o surgimento dos Storys migrei para lá foi onde tudo começou a mudar, hoje mostro meu dia a dia, crio conteúdos sobre moda, cupons de descontos, humor, viagens e afins. Até então, é de onde vem minha renda, pois aproveito dessa rede social para criar conteúdo e monetizar, gerando lucro por anúncios de empresas que se interessam no meu perfil.


O sucesso não só na rede social, mas em tudo aquilo que me proponho a fazer é uma mistura da entrega excelente, do conhecimento, do comprometimento, da responsabilidade, da transparência e da empatia. Eu sempre trabalhei em cima desses pilares, mostrando não apenas para mim, mas para meu público que eu não faço pelo dinheiro, a minha maior satisfação é alcançar a verdadeira satisfação das pessoas que estão ali me assistindo por alguma razão, seja porque elas se sentem inspiradas, seja porque eu vendo exatamente aquele produto que eles procuram comprar... Quando a gente segue exatamente esse trâmite, quando damos importância a cada um desses pilares não tem como o resultado não ser sucesso”



Daniel Santos (@_soudaniell)


“Eu me chamo Carlos Daniel dos Santos mais conhecido como “Sou Daniel” e como tudo isso começou: começou lá atrás quando era apenas uma criança onde sempre gostei de assistir novela, de ver teatro, sempre gostei de encenar desde criança e sempre foi um gosto meu levar alegria, eu nunca gostei de ver ninguém triste, eu lembro que eu amava fazer sustos em minha avó e todo mundo sempre dava risada, minhas tias costumavam me pintar de palhaço, me maquiar e colocar roupa de palhaço, então desde criança sempre foi um gosto meu e quando com o tempo eu comecei a ouvir as pessoas falando para minha mãe ‘investe se no seu filho que ele vai ser um artista, ele tem tudo de um artista’. Só que uma criança ela não pensa isso, mas foi um gosto meio e eu comecei na internet em 2014, eu fazia vídeo de humor, como faço hoje, mas eu tinha outros conteúdos também que eu falava sobre reflexão, empatia, ansiedade, depressão e entre outros fatores, com isso também já tava começando com a minha depressão, mas eu não tinha noção, eu não queria acreditar que eu tava passando por isso, mas isso nunca foi um obstáculo para não levar alegria para as pessoas, pelo contrário, só me motivava a fazer as pessoas sorrirem porque eu sempre coloquei o lema da minha vida quando eu tiro de alguém eu tenho as minhas feridas curadas.


Então para mim eu ganho meu dia fazendo alguém sorrir e comecei no Facebook, porém no início eu queria ser youtuber, eu acompanhava muitos youtubers então meu sonho é ser youtuber e com o tempo comecei a acompanhar o Carlinhos Maia e eu lembro que o primeiro vídeo dele foi falado sobre o sonho, que as pessoas iam ser criticada, por que as pessoas costumam dizer ‘sonha pobre’ e eu lembro que nesse dia ele falou assim: ‘sonha pobre mesmo porque é sonhando que você consegue realizar aquilo que tanto você quer’ e esse vídeo pegou muito na minha cabeça lá em 2015 eu comecei a acompanhar cada vez mais o Carlinhos e comecei a ter mais amor para criar conteúdo e realizar todos os meus objetivos nisso, eu não tinha um tripé, eu não tinha um celular marca, eu não tinha um Iphone com qualidade boa, com áudio bom, com a câmera melhor ainda, então eu comecei com celular de travava, meu celular eu apoiava no guarda-roupa da minha mãe, às vezes caia, mas eu tinha que aceitar que a gente começa do pouco, né? E algumas pessoas não dão valor porque acha que é fácil e não é.


No começo vai ser difícil porque a gente não tem tudo. A gente não tem uma câmera da hora, não tem um tripé, não pode apoiar em qualquer lugar, a gente não pode ir na rua gravar em um lugar da hora, assim que aceitei que é do pouco que a gente se torna e chega no muito e aí eu migrei para o Instagram em 2018 tive minha primeira conta, mas eu tava com depressão, eu não acreditava que eu tinha, não aceitava isso, mas acabou que foi progredindo cada vez mais e cheguei ao fundo do poço, ondo me desanimei e desistir das redes sociais, fiquei com um bom tempo, 4 ou 5 meses sem querer, mas as pessoas já estavam acostumadas com meu conteúdo, de me assistir e começou a me cobrar para eu voltar, resolvi voltar só que eu voltei lá em dezembro de 2019, quando foi na virada do ano eu tinha um novo Instagram e eu coloquei na minha cabeça que ia passar por cima da depressão, por cima da ansiedade, por cima de todo o desânimo e eu falei ‘2020 vai ser o meu ano’ e foi aí que deu certo, com um mês eu já tava com mais de 10k no Instagram nem pensava porque meu Deus eu moro em um lugar que tem 14 mil habitantes, então assim eu já tinha praticamente 2/3 da cidade me seguindo e foi muito louco, só que aí veio a pandemia e isso que me assustou, porque eu falei ‘caraca e agora como é que eu vou criar conteúdo uma pandemia? Não vou sair para gravar, eu vou ter que gravar em casa e o que é que eu vou gravar só em casa’, porque fica uma coisa monótona, tipo a mesma coisa todos os dias, uma coisa robotizada, mas aí eu tive a brilhante ideia de começar a dar conselhos, eu coloquei o quadro de caixinha que no início eu não tinha nem o nome, mas deu tão bom que começará viralizar e o pessoal começou a chamar ‘Cabaré do Dan’, onde eu dava conselhos amorosos, as meninas colocava que queria voltar para o ex, eu falava que não era para voltar, xingava também de uma forma debochada e isso pegou na galera, criei alguns bordões e estourou. Isso tudo foi lá em abril, e de Abril para julho, já tava com quase 100 mil seguidores, então assim para mim foi gratificante porque eu vi que a pandemia não me atrapalhou, pelo contrário, a pandemia por muitas pessoas estarem em casa, elas queriam algo para assistir, algo diferente, então elas encontraram em mim um conteúdo legal, um conteúdo diferente, porque eu acho que o que se destaca na internet é quando você faz algo diferente, então as pessoas todos os dias estão procurando novos influenciadores, novos conteúdos, pessoas que façam com que ela fique ali assistindo, que seja gostoso para ela te assistir. E acabou dando certo, né? Caiu no gosto da Galera, o quadro ficou muito da hora e deu certo, hoje eu tô com quase 300 mil seguidores e a tendência a crescer cada vez mais, levar mais alegria e levar mais sentido para que elas acreditam em cada vez mais nos sonhos dela a internet ela me proporcionou muitas coisas, conheci pessoas incríveis, influenciadores que eu pensei que eu não conheceria e acabei conhecendo, tive a oportunidade de ir para o Natal da Vila, Conheci a Vila, conheci Carlinhos Maia pessoalmente que é uma das pessoas que mais me inspirou a estar na internet, criando no meu conteúdo.


A minha meta é um dia fazer parte da turma dele e eu não vou desistir até que isso aconteça e para mim é um orgulho porque eu vendo um lugar pequeno, sabe? Onde existe muito talento na minha cidade, que é Malhador-Sergipe tem muito talento aqui, mas que são pouco valorizados, mas eu sei que um dia a internet, as pessoas que são talentosas elas vão ser notadas, sabe? Elas não têm o seu devido valor reconhecido e enquanto isso não acontece elas não têm que desistir, tem que persistir, continuar correndo atrás, fazendo o teu melhor para que as coisas começam a engrenar e não se estagnar, mas querer cada vez mais crescer, e a minha meta é essa. Eu tenho um intuito de dar uma vida melhor para minha mãe, porque ela é minha fonte de vida, é ela que me mantém, me dá força para também tá continuando gravando, quando eu não gravo ela tá ali no meu pé me motivando, então para mim hoje é gratificante pois se eu tivesse desistido lá atrás, eu não teria chegado aonde cheguei, eu não teria conquistado o que eu conquistei e o que eu venha a conquistar, eu tive minha conta do tiktok mais de um milhão de seguidores desativada, estou na luta para recuperar, mas é como sempre falo ‘é tudo propósito de Deus’ e se fosse fácil todo mundo conseguiria, eu acredito que tudo que acontece é para abrilhantar o nosso testemunho lá na frente, porque um dia eu vou chegar vou falar ‘gente eu cheguei até onde eu cheguei, mas não foi fácil, eu tive minha conta desativada, eu passei por isso, por aquilo’ tipo assim não é mil maravilhas o mundo que a gente tá das redes sociais, tem muita coisa ruim dos bastidores, a gente passa por muitas coisas.


Fui também para ‘Mansão Maromba’ ano passado, fiquei um mês lá, para mim foi uma experiência que eu aprendi só tenho a agradecer a Deus por tudo que está acontecendo na minha vida, porque tudo faz parte do propósito que ele tem para mim e só gratidão, só gratidão, é chegar nos lugares apresentar minha cidade, o meu estado, chegar no lugar e hoje ver as pessoas me reconhecendo é gratificante, às vezes eu chego no lugar que quer tirar foto comigo eu fico ‘meu Deus gente eu era só um menino, só uma criança’, eu venho de uma cidade que tem poucos habitantes e as vezes nem eu acredito que eu tomei essa proporção, mas agora é só agradecer pois a tendência é só crescer cada vez mais”



Fernando Santos (@beldadesdesergipe__)


“Eu comecei no Facebook com as páginas “Malhador Como eu Vejo” e “Beldades Sergipanas”, mas eu “estourei” mesmo foi com a “Beldades Sergipanas”, onde divulgava pessoas de todo o estado, nela eu cheguei a ter 75 mil seguidores, mas acabou que eu fiz uma migração para o Instagram após o Facebook ficar um pouco de lado pelas pessoas, como eu sempre gostei desse negócio de mídia e divulgação, amava fotografar pessoas, resolvi criar uma página no Insta, como meu irmão tinha uma conta desativada com mais de 3 mil seguidores resolvi pegar e criar a “Beldades de Sergipe” com o intuito inicial de divulgar pessoas para que outras pessoas as conhecessem, o pessoal começou a gostar do nossos conteúdo e dos 3 mil iniciais passamos rapidamente para 4, 5... 7 mil e logo batemos o tão sonhado “10k”, e aí começou a surgir várias parcerias de lá para cá. Hoje eu tenho minha renda na página e minha renda no salão, pois também sou cabelereiro. Com a página promovemos arrastões e festas com o nome de minha página fizemos o “bloquinho da Beldades de Sergipe” Itabaiana que teve mais de 10 mil pessoas. graças a Deus temos muitas publicidades devido a muita visibilidade, a página já bateu mais de 3 milhões de impressões; muita gente nos conhece, pode até não seguir, mas conhece “Beldades de Sergipe”.


Criei a “Beldades” em novembro de 2018 por não gostar de me expor, de botar minha cara para gravar vídeos e tal, mas com a página posso “anonimamente” levar entretenimento para as pessoas, além de brincadeiras, sorteios, informações. A nossa meta é bater os 100k até o final do ano”



Wilma Camilo (@wilmacamiloesmalteria)


“Meu trabalho começou meio que por a caso, recém-casada, precisando mostrar serviço e ajudar o marido nas despesas da casa, comecei como quase todo mundo: de porta em portas atendendo as amigas mais próximas, parentes, irmã, cunhada, enfim comecei com elas e elas gostaram um do meu serviço. As unhas que eu fazia chamavam a atenção das outras pessoas e eu comecei a ser procurada por outras clientes, comecei então a agendar horários para poder atender a todas que me procuravam.


Hoje trabalho de segunda a sábado, nunca fiz curso, mas como sempre falo ‘Deus nos surpreende de uma forma que é inesquecível’. A imaginação, a criatividade e muito mais vem dele que abrange minha mente. Procuro sempre ter meu diferencial, sempre está atenta as tendências. E tenho uma satisfação muito grande de dizer que ganho a vida com meu trabalho de manicure.


A questão da internet começou meio que por acaso, comecei a tirar foto das unhas que fazia e postava pra mostrar meu trabalho e também porque as clientes gostavam de ver as fotos na internet, mas especificamente no Instagram, não uso o face. A consequência disso foi que começou a chegar mais clientes e as pessoas começaram a me segui, começou devagar, mas sempre aumentando, foi quando vi o número de seguidores subi de 5 para 6 depois, 10 mil seguidores, 20 e quando dei por mim, já tinha 50 mil. Hoje são mais de 90 e é uma coisa que eu sinceramente não esperava foi algo que me surpreendeu bastante. Nunca pensei que fazer unhas pudesse render tantas pessoas assim. E o mais gratificante disso tudo é ser reconhecida por grandes marcas que nunca imaginei, isso pra me realmente não tem preço.


Na verdade, a gente nem sabe como lidar com essa coisa de ter 90k de seguidores e muito para a cabeça de qualquer pessoa e eu ainda estou aprendendo a me mexer nesse meio de internet, mas sou muito grata a todos pelo que estou conquistando por meio do meu trabalho. Faço unhas a mais ou menos 6 anos e isso tem me proporcionada uma certa autonomia financeira, além de ter projetado meu nome na rede mundial de computadores. Agradeço a todos e a Deus por tudo nessa vida”


Nunca esqueçam que “apoiar depois que dá certo não é apoiar, é pegar carona!”


Por Cleber Santos

0 comentário